terça-feira, 22 de julho de 2014

Dica 2 para Viajar: Contratando Serviços

Nesse post, quero falar um pouquinho sobre reserva de hotéis, aluguel de apartamento, passagens aéreas, translado... isso tudo eu chamo de contratar serviços.
Como foi a primeira vez que fomos para a Europa, preferimos contratar a CVC para os serviços básicos (hotel, passagem aérea e translado). Nessas agências, o preço de tudo é em dólar, que geralmente é o dólar "turismo" que é o correspondente. portanto, se você decidir viajar numa fase que o dólar está variando muito, a cada dia que você for consultar sobre a viagem, terá um valor diferente. É pouca a diferença, mas há.
Nessas agências, eles vão oferecer "passeios", como entradas em museus, teatros, jantares... Minha dica é: não compre! Por dois motivos: primeiro porque o preço sempre é um pouco maior do que na hora. O outro motivo é: não se "comprometa" a ir num passeio, sendo que você ainda nem chegou na cidade. É muito mais gostoso decidir no dia (ou na véspera) o que vai fazer, se está cansada ou não para aquele passeio. As vezes, quando chegamos na cidade, descobrimos outros passeios para fazer, e aquele, comprado anteriormente, acaba ficando desinteressante. Sem falar que, nesses casos de agências de turismo, perde-se muito tempo para ir ao local, porque geralmente eles buscam cada um no seu hotel e depois, tem horários para voltar. Só compre esses passeios se se sentir muito inseguro sobre como vai "se virar" na cidade.
Se você preferir comprar as passagens, contratar hotel / apartamento também é possível e com certeza vai sair mais barato. Minha sugestão é: procure em sites seguros, peça dicas para amigos e pesquise na internet.

-Contratando o hotel

Eu e meu marido, quando vamos viajar, fazemos a seguinte escolha sobre o hotel: escolhemos o que tem valor "médio" : nem o mais baratinho, nem o super luxuoso. Sempre um meio-termo: com conforto e preço bom. Preferimos sempre um que tenha já o café da manhã incluído, pois assim, já fazemos uma super refeição no próprio hotel e podemos sair para passeios sem termos que ficar procurando locais para comer logo. Acho que assim, ganhamos mais tempo. Outra coisa que sempre observamos, é a localização: hotéis muito afastados do centro ou mesmo fora da cidade, vai nos custar mais em termos de transporte. A boa localização do hotel facilita a locomoção para passeios, bares, restaurantes. Se a viagem for curta, então... perder 1 hora em transporte não vale a pena e é desgastante.
Foi assim que escolhemos nosso hotel em Londres:  Copthorne Tara Hotel . Adoramos o hotel, tinha tudo que era preciso, inclusive casa de câmbio (foi ótimos, pois precisamos trocar Euro por Libras num domingo e deu tudo certo!). Também no hotel havia o adaptador de tomadas para emprestar. O quarto era amplo, com frigobar, cafeteira, secador de cabelo, TV, ferro de passar roupa. No banheiro tinha aqueles "mimos" como sabonetes, hidratantes, shampoos, algodão... O café da manhã era ótimo e super bem servido. O hotel ainda ficava há 2 quarteirões do metro (só andamos de metro por lá e deu tudo certo: transporte bom, seguro e barato), de lojas, praças, da farmácia Boots... quem precisa de mais, né?! Rsss...



Em Paris, nosso hotel foi menor e mais intimista, mas lá, a maioria é assim mesmo. Porém, a qualidade era equivalente. o Hotel Central Saint Germain  ficava numa rua estreita da cidade, porém, perto de avenidas, metros e outros pontos turísticos como o Panteão e Jardim de Luxemburgo. Além de um Mc Donald´s (com lanches franceses!!), o supermercado Monoprix (ótimo, tudo barato, vende de comida, roupas e vários cosméticos que amamos!!!). O hotel também oferecia wi-fi, café da manhã, secador de cabelo e mimos de banheiro.



- Translado: optamos pelo translado da CVC e não tenho queixas. Não é todo mundo que vai ficar no mesmo hotel, então, você acaba "passeando"  pela cidade enquanto leva cada m para seu hotel. No nosso caso, não demorou, pois eram 2 ou 3 hotéis. Outro translado que contratamos foi o trem Eurostar para ir de Londres a Paris. Um detalhe que nem todo mundo sabe é que no trem, a gente não despacha a bagagem. cada vagão tem seu porta malas e é você quem tem que organizar. É difícil, pois os lugares são pequenos e as malas são pesadas (sempre!). Sorte que o marido arrumou tudo. No trem também tem restaurante e a viagem é bem tranquila.




Fotos: Estilo da Cris

- As passagens aéreas: também compramos o vôo de São Paulo para Londres e de Paris para São Paulo. O voo doméstico (morávamos em BH na época, então fomos de BH - SP) são por nossa conta. É importante estar atendo aos horários dos vôos, pois geralmente, os vôos domésticos vão para Congonhas e o voo internacional sair de Guarulhos, então é preciso mudar de aeroporto e chegar com antecedência. Na volta, nosso voo foi cancelado pela TAM, então, eles nos acomodaram em hotel, pagaram táxi, nos colocaram em outro voo (fizemos escala em Portugal) e remarcaram nosso voo em SP. É desgastante! Passamos o dia no aeroporto no balcão da TAM para resolver tudo isso, mas deu certo. É nosso direto, não foi um favor que fizeram para nós!

No próximo post, vamos falar do quanto se gasta... eis um assunto difícil, né?! Aguardem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...