quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

TPM... quem nunca?!?

Eu estava pesquisando sobre alguns assuntos de psicologia (lembram que a blogueira aqui é psicóloga também?!?!) e encontrei a TPM como assunto pertinente a essa área. Isso porque ela está sendo estudada de forma mais aprofundada e pode ser classificada como Síndrome ou Transtorno e vai entrar na próxima edição do Código Internacional de Doenças (o CID).
E muita gente ainda não entende ou não dá a devida importância à Tensão Pré Menstrual....

Até alguns anos atrás eu não entendia muito o que era TPM. Acho que não tinha sintomas, ou não ligava o nome à pessoa! Mas de uns anos para cá, comecei a entender o que significa essa sigla: Tensão Pré Menstrual!
Algumas mulheres passam a vida sem realmente não saber o que é TPM (sortudas!), porque não apresentam os sintomas.
Outras, começam a sentir todos os sintomas da TPM assim que começam a menstruar...
Outras ainda (me incluo nesse caso), passam a apresentar os sintomas ao longo de sua vida, por diversas razões, sejam emocionais, hormonais ou por outras situações. No meu caso, não sei qual é! Mas que tenho TPM, isso eu tenho!
Resolvi fazer esse post porque nós mulheres, sempre somos "satirizadas" por essa questão da TPM pelos homens! Eles não entendem o quanto é difícil esses dias para as mulheres... então, se ficamos nervosa nos acusam de TPM! Se ficamos com ciúmes, é porque estamos com TPM! Se estamos irritadas, é por causa da TPM! Claro que as vezes estamos mesmo, mas nem todo comportamento feminino deve ser condenado ou justificado pela TPM.


Para isso, vamos entender esse assunto.

O que é TPM?
São variações físicas e do humor nas mulheres. Surge uma a duas semanas antes da menstruação e desaparece no fim do fluxo menstrual. Este transtorno é tratado pelos ginecologistas.  Aproximadamente 80% das mulheres em fase reprodutiva apresentam sintomas na fase pré-menstrual, sendo que apenas 3 a 5% de forma grave a ponto de impedir a rotina ou o trabalho. Seu início ocorre em média aos 26 anos de idade e tende a piorar com o tempo. As mulheres mais sujeitas a este problema são aquelas que sofrem de algum problema depressivo ou possuem algum parente com problemas de humor. As mulheres que tiveram depressão pós-parto (uma condição considerada benigna) também estão mais sujeitas.

Principais Sintomas

Psicológicos
Irritabilidade, nervosismo, descontrole das ações ou emoções, agitação, raiva, insônia, dificuldade de concentração, letargia (lentificação para fazer as coisas), depressão, sensação de cansaço, ansiedade, confusão, esquecimento freqüente, baixa auto-estima, paranóia, hipersensibilidade emocional, ataques de choro.


Gastrintestinais
Dores abdominais, inchaço, constipação, náusea, vômitos, sensação de peso ou pressão na pelve.


Dermatológicos
Acne, inflamações na pele com coceira, agravamento de problemas dermatológicos preexistentes.


Neurológicos
Dores de cabeça, tonteira, desmaios, entorpecimento, irritabilidade, sensação de zumbido, machucar-se facilmente, contrações musculares, palpitações, descoordenação dos movimentos


Outros
Aumento da retenção de líquido causando sudorese fácil, intumescimento das mamas, e ganho de peso periódico, diminuição do volume da urina (o que contribui para a retenção de líquido). Aumento da predisposição a alergias e gripes, alterações visuais (talvez devido a retenção de líquidos), conjuntivites (não necessariamente infecciosa), palpitações do coração, dores menstruais, diminuição da libido (desejo sexual), mudanças no apetite (para mais ou para menos), ondas de calor.



Como se identifica a TPM?
Durante o intervalo de 12 meses a mulher deverá ter apresentado na maioria dos ciclos pelo menos cinco dos sintomas abaixo:
  • Humor deprimido
  • Raiva ou irritabilidade
  • Dificuldade de concentração
  • Falta de interesse pelo que se costuma gostar
  • Aumento do apetite
  • Insônia ou hipersonia
  • Sensação de falta de controle sobre si mesmo
  • Algum sintoma corporal
Como se Trata a TPM?

Com modificação na dieta, aumentando-se a quantidade de proteínas e diminuindo o açúcar, o sal, o café e o álcool. Fazendo exercícios regularmente, evitando o estresse, suplementando a dieta com vitamina B6, cálcio e magnésio.
As alternativas medicamentosas são com contraceptivos orais e com antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina. Recentemente a FDA (Food and Drug Administration) autorizou o uso da fluoxetina para o tratamento da TPM nos EUA.
Mas vale ressaltar que, cada caso é um caso! Então, para os tratamentos, é importante conversar com seu ginecologista. 


Acredito que esse post é de utilidade pública (rsss...!!!), mostrem para seus maridos, namorados, amigos.... para que eles entendam o que acontece com a gente nesses dias! 
Não é nada legal ficar sem dormir, irritada, deprimida, sem vontade de fazer nada, comendo sem parar e se sentindo a mulher mais feia do mundo! rsss... Ser mulher é difícil demais!!!! 

Espero ter ajudado, pois tem mulheres que sentem tudo isso e não sabem que é TPM!!!
Fiquem atentas! Quanto mais a gente se conhece, mais a gente sente quando há algo diferente acontecendo com a gente e fica mais fácil tratar o problema! Ainda mais quando esse "problema" aparece todo mês! Afff...


Bom fim de semana para vocês... o meu, vai ser de TPM !!! rsss...

Pesquisa: http://www.psicosite.com.br/tra/hum/tpm.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...